A Origem

Em dois mil e onze o trabalho que foi o sonho de sua vida durante uma boa parte do tempo… ruiu! essa era a sua sensação… todo mundo que segue o fluxo natural dessa sociedade “operacional” pode passar por essas mesmas situações… e com ele aconteceu assim, e sua reação natural foi querer ir embora, pensando em explodir todo o conjunto de prédios em que se encontravam seus “chefes”…

essa imagem também é natural, segundo a sua terapeuta, afinal ela alivia esses sentimentos dizendo para ele serem normais por que são apenas manifestações de uma raiva reprimida, e que não necessariamente serão colocadas em prática… (vide o filme “Clube da Luta“, o Brad Pitt está demais!)…

e com essas sensações percorrendo seu corpo e modificando seu ser, ele decidiu vestir a coragem e arriscar tudo voando para um conjunto de ilhas remotas no meio do nada do oceano pacífico, há seis horas de voo do continente mais próximo para ver a pintura mais incrível que já viu no céu… sabendo que temos vários céus mundo afora, e depende de onde você está, ali, em North Shore, as cores eram espantosamente saturadas de beleza e brilho…

Sem direção ou planejamento, deixou rolar os acontecimentos de uma maneira solta demais, e a arte dominou completamente o ambiente, hora colorindo tudo com tintas e lápis de cor, em outros momentos fotografando e gravando imagens fabulosas demais para que acreditemos em algo “superior”… brincando com nossas vistas…

De lá para cá, tantos lugares, tantas histórias e tantos amores… agora vai, de novo para a estrada, a fim de conhecer mais, aprender mais, trocar mais, amar mais, sentir mais… vida!

Seres Imaginários…

O caminho parecia ser um tanto perigoso quanto atravessar uma ponte feita de uma árvore manhosa sobre um rio lá ao longe… a belíssima mãe natureza que guarda segredos infindáveis sobre seres que existem em nossos mais ricos sonhos, seriam verdades incrustradas dentro de nossos peitos, sentimentos que ainda não conseguimos entender e traduzir, e por isso; choramos…

Ratos roubam gelo dissimulados por uma garrafa de uísque que sei lá por que cargas d’águas deram um valor surreal para ela, e hoje as pessoas tomam se achando melhores que outras, por esse valor aí, que nada realmente vale…

Então percorreu esse caminho que era como uma viela espremida entre edifícios com arquitetura barroca, cores vivas e abauladas, e ao chegar no final encontrou-se com um lago de águas límpidas e curvou seu corpo para deixar seu chifre fazer o serviço, trocando energias desconhecidas e até então, desentendidas também…

Existem muitos planetas, iremos acabar com todos… quão é absurda essa ideia primaria de conquista, que hoje envia de nossos DNAs, para geração futuras informações imprecisas sobre uma convivência pacifica e expressa…

Saiu do seu mundo, mergulhou em uma gelatina de cérebros, sentiu as vistas sob as cortinas, mantos e névoas que fingiam proteger quem fingia estar escondido… olhares soturnos e seu medo de estar pensando sem parar, sem nenhum controle, para cortar a dor, um sentimento de buraco inerente a qualquer outra razão que possa ser… a pergunta que não cala, o que é viver?!

Combinações…

Eu sou estudante, ainda não sei o que serei, mas estudo engenharia…

Eu tenho 56 anos, sou guerreira! Trabalhei de tudo o que possa imaginar…

Eu faço academia e estudo inglês online… não eu não trabalho…

Eu sou veterinária e gosto muito de bolo de morango…

Eu sou jovem ainda, quero explorar tudo, conhecer o mundo, sem compromisso…

Eu sou um advogado de sucesso, quero apenas o melhor pro povo…

Eu vim do nordeste para trabalhar aqui em São Paulo, gosto de ser pintor, mas acho que não vou ficar rico não (risadas)…

Eu tenho 35 anos e compartilho minha vida com as flores, amo a natureza…

Eu sou um empreendedor, tenho 25 anos e só quero ganhar dinheiro…

Eu sou uma estudante de design e quero trabalhar na televisão…

Eu sou morador daqui de São Tomé, gosto demais daqui, tem mais de vinte anos que moro aqui…

Eu sei que aconteceu quando eu era criança, mas matei um passarinho quando eu tinha 5 anos… e chorei até!

Eu faço isso pelas minhas filhas, quero dar educação para cada uma delas… não tenho vergonha de ser o que sou!

Eu tenho 47 anos e já mudei de profissão diversas vezes, hoje sou escritor…

Em Algum Lugar Em Outro Dia…

Dúvida?!

A Próxima Rodada.

é sobre estar feliz por estar produzindo algo que gosta?

é sobre estar triste por que foi trapaceado numa compra e acabou perdendo grana?

é sobre estar sem entender nada por que ninguém ganhou um manual de como viver a vida…?

é sobre entender o processo de morte, passar por diversas histórias dessas até acontecer aquela que a gente nunca imagina, pois a “nossa” mãe é eterna…

é sobre tomar um banho quentinho e lento debaixo de um chuveiro que lhe leva às cachoeiras vividas de águas termais…

é sobre a paisagem de concreto ganhar o horizonte imitando as montanhas, e os desenhos que os verdes fazem em tons neutros e acinzentados expõem a triste arte humana…

é sobre todos os relacionamentos amorosos que se desfazem ao longo da estrada e a gente ainda se pergunta um “por que”…

é sobre abraçar e ser abraçado…

é sobre acampar e ainda assim sentir um conforto danado naquela brisa leve e contida debaixo da lua cheia…

é sobre permitir sensações e abraçá-las, colocá-las no colo e entender como seu corpo e sua mente reagem ao externo com o seu interno…

é sobre a aleatoriedade da vida ser colocada em matemáticas enlouquecidas para tentar entender o por que de um fim que coloca toda essa magia da vida em xeque-mate…

Algumas Quartas-Feiras…

são como aqueles dias em que você acorda pensando sobre o que está fazendo aqui, e a única conclusão que chega é que nesses tipos de dias, o mar baterá com tanta força na areia que engolirá todo o concreto à frente, uma fragilidade acreditar em certos tipos de controle…

deixou a tristeza fluir por suas veias ao perceber a ignorância alheia em colocar a vida das pessoas em risco por conta da mesma história de sempre, o dinheiro… ele não entendia por que as pessoas que se diziam gente boa e honestas, não os era mesmo nas atitudes, ao invés de ficarem numa falação danada e criando poderes e problemas sobre algo que foi inventado para facilitar a troca…

cansava e não se lembrava de se sentir assim aturdido há tanto tempo… conversou com velhas amizades, deu risadas e criou momentos lindos, no entanto, olha a onda que está vindo, o tamanho daquilo tudo de água, em cima de você em uma só pancada… como vai aguentar? vai furar a onda mergulhando? vai tomar com ela no peito? seria surpreendido de novo, pela sua ingenuidade, e valeria da experiência para surfar mais um desses instantes que irão virar piada em um breve suspirar…

Despedidas…

E enquanto tudo parecia ruir ao seu lado, desmoronando um descontrole de sentimentos confusos e aleatórios… ele abaixava seu corpo e recolhia os pedaços gentilmente, passo a passo com pesadas lagrimas nos olhos…

Queria gritar bem alto, surrar o vento e correr furioso pela vida…

De forma orgânica encaixou a raiva com o não entendimento, o acolhimento da ternura, tudo flutua… ele sabia as regras e detestava jogar aquele jogo pois sempre alguém sairia machucado…

Pedalou por estradas

Ele mergulhou em mares gelados

E deixou seu corpo secar ao sol e ao vento…

Agora as lágrimas eram de alegria… vidas vão e vem… escolhemos e somos escolhas de outros…

Envelhecer é muito diferente do que as pessoas contam… e agora ele sabe distinguir os tons de azul mais suaves para pintar…

Predadores…

De verdade o dia a dia parece um tanto lerdo às vezes… preciso esperar minha mãe, que é a rainha de todo esse enorme e verdejante território conhecido como as savanas do Quênia… ou minha tia, àquela que está ali, toda “largada” para descansar sua pança!

Apesar disso, olho para as duas com muita admiração… afinal sou uma princesa, e estou aprendendo como eu tenho deveres e direitos perante meu povo… são muitas responsabilidades e muitos aprendizados, e eu estava disposta a ser a melhor das melhores caçadoras de nosso reino!

Sim, quero ser uma caçadora. Claro, podia escolher uma vida teoricamente mais fácil, sendo uma ama de leite e cuidadora, ou uma patrulheira, ou até mesmo quem sabe, uma vasculhadora… Bem, com muita humildade, desde nova eu gostava mesmo era de atacar, pular, morder e me esgueirar, praticando como eu poderia surpreender meu alvo e vencer a luta!

Depois de vê-las bocejando e se espreguiçando, porém sem esboçar qualquer vontade de fazer alguma coisa, me levantei e fui cutucar minha irmã mais nova… ela sabe bem menos coisas que eu, afinal já tenho quase um ano, e adoro implicar com ela mostrando como sei dar um bote certeiro!

Porém me entediei muito rápido, afinal a pequenina tem pouca força e muito sono, deixei-a recostada em minha mãe e fui dar uma volta, percebendo uma sombra que passava por trás de uma árvore com. um tronco e galhos protuberantes e tortos… Minha curiosidade me levou até lá, bem devagarinho, me esgueirando e colocando calmamente meus pés no chão…

Ao terminar de dar a volta no tronco, meus olhos fitaram um pássaro, de pernas compridas e um bico enorme… Eu não sabia o que era, porém aquilo me deixou louca, eriçando meus pelos e fazendo meu coração acelerar no mesmo momento… alguém consegue explicar a natureza, por que eu não… meu corpo se posicionou colocando minhas patas como se fossem molas, e minhas orelhas arrebitaram para cima acompanhando o movimento rápido de minhas pupilas dilatando… e se não adivinharam ainda quem eu sou…

minha calda balançou gentilmente sobre a grama e eu pulei para cima do pássaro, rugindo bem alto! =D

O Último Dia… De Novo!

é sobre estarmos aqui nesse tempo e sabermos aproveitar dele cada “momentinho” que está acontecendo consigo… no tal do momento presente conhecido como “do aqui e agora”, em que milhares de vidas alternam histórias dramáticas e estonteantes diante de canais que as exibem lá fora…

caraca são tempos bem diferentes, e não posso me sentar na padaria e comer meu pão na chapa com um café preto…

ele acordou com fome… saiu lentamente da cama, fazendo todo aquele ritual humano, ou era o que se pensava sobre a maioria da população terrestre, vivendo em suas mesmices… faz xixi, lava as mãos, lava o rosto, escova os dentes… quantos de nós já tem toc nos primeiros minutos matinais… ele lavou as mãos de novo…

11:11hs algumas pessoas dizem que é uma hora mágica, sente-se e concentre-se, vamos fazer outro ritual, agradecer e fortalecer a mente em energias de paz e amor para todos os seres habitantes desse planeta e nessa existência do real… Ele se levantou agora do chão, ao qual estava sentado sobre um tapete cor-de-rosa e meditava em posição de lótus…

não iria desistir… enquanto houvesse um sopro de vida dentro daquele corpo, rolaria aquele peso inteiro para cima de novo, mesmo sabendo que tudo era cíclico, e outros pesos viriam após aquele… não iria desistir…

daria para parar o tempo um pouquinho…

para darmos aquele aconcheguinho…

deixar a tristeza ganhar colinho…

e depois deixá-la ir embora devagarinho…

para longe daqui e eu parar de me trair…

ganhar um sossego e viver sem medo…

Li uma manchete outro dia desses para trás que me fez refletir por muito tempo o motivo de tanto escrever e estudar e querer entender mais e mais… e dai…

como pode uma espécie que se diz inteligente e consciente de sua existência, e de todas as coisas que consideram magnânimas de suas ações e atos, não terem humildade de perceberem seus erros e que está passando da hora de mudarmos?!

UMA DAS “BORBOLETAS MAIS RARAS DE TODOS OS TEMPOS” PODE TER SIDO UMA MARIPOSA. Este espécime de mariposa foi erroneamente identificada como uma borboleta em 1793, deixando os biólogos para se perguntarem o que aconteceu com a “borboleta” desaparecida por mais de 200 anos. Amo ironia, e aqui está uma das maiores, “somos nós os inteligentes!!!” =D