Infância e Juventude…✏️

Leia e Sinta! ❤️

Haviam todos esses desenhos rabiscados sem parar, muito soltos e vários deles podem ser de personagens, ideias e contos, são épocas distintas, anos incontáveis, eram enfeites em um mundo tonto…

De tanto rodar, pirar, viajar e conhecer, e se permitir voar, mergulhar, correr… gosta de gatos e também dos cachorros, e gosta de alguns seres humanos também…

Era assim que estava, era e seria, e no será agora, enquanto uns jogavam bola, ele estava com folhas de papel e lápis, desenhando, era à sua escola… 😉

Um Retorno com Elegância…

Há tempos eu e a tatuagem temos um daqueles namoros intensos, loucos, vorazes, de idas e vindas, de estar loucamente apaixonado e depois de voar sem… uma arte magnífica, pura e energizante… ela me levou pela estrada e me sustentou por tantos anos, agora, eu retorno com mais consciência e carinho… obrigado a mim mesmo por amar a arte, e me dar essas oportunidades!!! Do escritor e artista, boraaa rabiscar o corpo galera, meu estúdio será em Pipa-RN… ❤️🥰✌️

Leia e Sinta! ❤️

Singular…

ele estava sozinho em um mundo lotado do que conhecemos como seres humanos… e nem é por terem a tal “humanidade”, pois isso é um conceito teoricamente racional e impraticado por essa própria espécie… ele estava sozinho e sabia muito bem disso… havia nascido como todas as pessoas, e ao longo de sua vida, tendo socializado e trabalhado e vivido e estudado e tudo o mais com a companhia de outros desses seres, e ele também sendo companhia às vezes, mesmo assim, conscientemente estava sozinho, entendia-se assim…

e iria morrer sozinho… a única questão para ele era, se iria morrer, já que este fatídico advento acontece com tudo o que está “vivo”, ele poderia então escolher como, ou onde, ou… estaria sozinho de todas as formas, mas não gostava de pensar em “dar trabalho” para os “outros”…

morrer na boca de um tubarão, ou comido por um leão, perdido em montanhas de países que terminam com a sílaba “ão”, namoraria um cara chamado João, esperaria em um restaurante chinês comer o melhor macarrão, e terminaria seus dias jogando sudoku em uma esquina no bar do Jão… era assim, sozinho, consciente e delirante, tentando criar suas rimas e letras, poemas e músicas, contos e nada, nada de nada, querendo quebrar os tabus de um cotidiano finito…

Os 4 Bons Sentimentos…

são muitas as opiniões diversas de pessoas diferentes, “sei lá quantilhões” de seres humanos desconectados e sem se entender, deveríamos ser mais como as árvores que conversam sobre suas diversidades através de longas raízes e folhas balançantes aos sutis ventos que viajam mundo afora…

e não essa espécie fofocante e delirante, que faz guerras por egos, que espalham falsas notas das vidas mundanas por inveja e egoísmo, que sacaneiam pelas costas, e pela frente também, sem a menor vergonha de serem seres falsos e fingidos, primeiro consigo mesmos, já que a alegria de ver o outro alegre inexiste; e que deliram aos fracassos das pessoas amigas ao invés de realmente torcerem a favor, e soltarem sorrisos e abraços sinceros uns pelos outros…

de novo ele acendeu um belo baseado de frente para o mar, agradeceu ao universo e com aquele sorriso de sempre, deixou fluir a boa energia que “sei lá quantilhões” de pessoas deveriam estar focadas nos seus “eus”, nas suas vontades e desejos, em seus próprios fazeres e gostos particulares, para sentir enfim, na boca do estômago, amor, alegria, paz e harmonia…

Ao Bukowski Sem Carinho!

eu prefiro a sinceridade nua e rasgada, a porrada na cara de um não bem dado do que um sim fingido que dura um tempo pela sordidez humana… é para que? A porra do ego? Que se foda, mó preguiça sabe…

e aguentar gente fingindo por que não dá conta de sair da tal “criação”, e pagam horrores para terapeutas holísticos “salvarem” seus filhos da iluminação… é uma merda…

Por que saber a verdade da sua própria verdade, a sua escolha sendo sua e nua é crua, rasgada das entranhas daquilo que se puxa lá do infinito adentro, você pratica o que você fala?!

Tá se entendendo e praticando o respeito, e aquele que se diz legal e fica por que ouve Caetano Veloso e come sanduíche vegano de espinafre com ricota… “oi… não consigo entender, não mesmo… conversa franca na cara, olhos estrabiscos em olhos certos, quem disse?!”

Concordar que Bukowski era foda por que era sincero é muito pouco, chega a ser raso demais para alguém que não tinha vergonha nenhuma de se mostrar um puta escroto de merda, simples assim…

E o corretor tentando me corrigir ahahahahahaha 😆✌️

Sorrisos Trocados…

cara, que loucura pensar isso… não existe mesmo idade, nem mesmo nenhum momento, ninguém pode falar agora com tanta certeza sobre o “amor”… ele já ouvira de tantas pessoas que quanto mais velhos ficamos, mais calejados ficamos… nunca mais nos apaixonamos como aquelas paixões avassaladoras de adolescência…

será mesmo?!

ele estava trocando de roupas pois uma amiga havia lhe convidado a ir a algum bar para encontrar com outras amizades, socializar, conhecer novas pessoas, enfim, afinal estava visitando uma outra cidade, que para variar, era um tanto inusitada como diversas outras por aí…

não sabia ou não lembrava, ou mesmo nem se importou com a informação de quem eram as pessoas por lá, ele já havia conhecido algumas dessas novas amizades, porém, aquela pessoa em particular, ele só ouvira falar, muito bem por sinal… e quando ele chegou no lugar, ela estava vestida toda de preto, o cabelo penteado para trás com um rabo de cavalo e um sorriso enorme nos lábios…

ele congelou… havia muito tempo que não sentia aquilo… e não eram borboletas no estômago, não eram os delírios adolescentes que fantasiavam às noites… ele sentiu a energia, forte, intensa, viva e brilhante de uma pessoa que nasce sob o signo de áries, e que possui a beleza do fogo em suas essências divinas…

“Ah caralho!”… ele pensou… “Ah!!!”… “Não posso acreditar que estou sentido isso de novo!”, ele pensou admirado enquanto conversava com todos os presentes, mas ouvia atentamente aquela pessoa em particular, com trejeitos próprios, uma voz meio rouca e ao mesmo tempo acentuada, gestos corporais como uma dança sem ritmo, os movimentos que lhe hipnotizaram e deixaram ele com aquela sensação de que iria se apaixonar de novo, mesmo sabendo dos resultados catastróficos das histórias vividas…

ele não iria se arriscar então, no entanto como sujeito sincero que era, na primeira oportunidade que teve, mirou direto e soltou com a confiança tremulante… “eu sinto sua energia, e é muito bom, me faz muito bem… eu adorei te conhecer, você me parece ser uma pessoa incrível… e eu só queria te pedir uma coisa, já que me sinto como um adolescente perdido sem saber o que falar ou fazer quando estou em frente a você…” ela com um sorriso majestoso retribuiu os elogios com todo o carinho e esperou ele completar…

“… te acho “muito“, mas “muito” mesmo, só que eu não estou preparado para nada, preciso estar cem por cento para me entregar a alguém, para poder sentir esse tal de amor de novo… e mesmo que para um sexo casual”… olhares se cruzaram e ele fechou falando… “então, eu posso apenas te admirar?!”

%d blogueiros gostam disto: