A Busca…

estrada de chão, estrada de terra, chuva de baleias, pancadas e pancadas de chuva… Verão brasileiro, molhado e suado, quente e perigoso, na estrada “matuto”, fica esperto para chegar…

passa por cima de asfalto, passa por cima de buraco, desvia daqui, desvia dali, momentos de solidão, horas de meditação… estrada está lenta, transito intenso, caminhão na frente, caminhão atrás, e em seus pensamentos nada demais…

parece uma metáfora da vida, vai guiando para frente e de vez em quando olha pro retrovisor… o que vê lá trás é o passado, já se foi o meu amor… novos caminhos chegando, contorna daqui, contorna dali, desenhos diferentes aparecem, um dedo aponta para cima…

uma montanha mística, rodeada de curiosidade, o tamanho é uma monstruosidade… outras surgirão, desenhando na paisagem, as montanhas estão vivas, bocas e olhos falam de outros tempos e outras verdades…

curte a estrada “minino”, curte a estrada meu pequeno ser, quando o horizonte aponta, aquilo que você vê, o coração se enche, um mar imenso só para você… existem estrelas brincando lá em cima, e aqui em baixo, não fique esperando, faça contato, chame para dançar, em um só dia, estrada acima rumo ao lar…

Uma Liberdade Estranha…

Ele apertou o botão para chamar o elevador… encontrava-se no décimo quarto andar de um hotel mediano de uma cidade qualquer… esperou pouco tempo até o veículo chegar e abrir suas portas… Estava vazio, porém possuía os perfumes das pessoas que o usaram anteriormente…

Entrou e se ajeitou… carregava apenas uma mochila nas costas e ao olhar para o espelho verificou se a máscara que usava tampava seu nariz e sua boca corretamente… o elevador parou…

décimo segundo andar e uma outra pessoa entrou… era um macho da espécie humana… acenou um bom dia e ajeitou-se em outro canto… os dois seres ficaram com as cabeças baixas sem se olhar, e ele pensou em sua mente “puxa vida, por um lado, a pandemia parece trazer mais educação e bom senso…”…

o elevador parou de novo… um casal estava com uma pequena mala de rodinhas e pediram licença para entrar… ele se espremeu para não encostar em ninguém e ao mesmo tempo em nenhuma das paredes do elevador… todas as pessoas se acomodaram e o cheiro de “ranço” subiu…

ele pensou novamente sobre a situação… se fosse há dois anos atrás, pessoas estariam se espremendo no elevador, soltando peidos escondidos e criando histórias loucas em suas cabeças… agora, somente quatro pessoas por elevador, o veículo mais utilizado do mundo, segundo revistas que falam de veículos…

todos desceram do elevador e caminharam em direções opostas… ele foi lentamente até o seu carro, ajeitou sua mochila e foi embora… estava pensativo, não triste… reflexivo sobre como a vida se tornou um monte de coisas esquisitas entre os convívios dessa espécie nada producente…

Dançar no Agora…

Leia e Sinta! ❤

No Seio do Mundo

Leia e Sinta! ❤

Jovem; Sereia e Bruxa!

Existem sereias e sereias… Mulheres e homens podem se tornar uma delas, porém, esses seres mitológicos são como os lupinos, e sua origem é um grande mistério, afinal, quem veio primeiro, sereias ou humanos?

Serena tinha apenas treze anos quando iniciou-se nas artes herméticas das ervas e plantas medicinais… manipulava com habilidade inata as ferramentas de misturas, o pilão para macerar as folhas verdinhas que soltavam aquele caldo viscoso que seria usado em unguentos e poções de diversas finalidades…

Com a mesma habilidade que possuía para os dons humanos, esse pequeno ser, também transmutava-se para sua forma bestial; uma calda brilhante e forte empurrava-a com velocidade para o fundo das águas azuladas do oceano por onde brincava de pique-pega com suas vítimas…

Nessa forma, ela era voraz mesmo em idade tão tenra… as sereias mais velhas lhe ensinavam algumas coisas e ela sempre aprimorava os seus movimentos… e vinha com truques que ninguém compreendia como ela conseguia executar, e acabava sobressaindo-se nas caçadas aos humanos, conquista que teve direito de participar quando trouxe uma espécie viva para aprender suas experimentações e feitiçarias em seus anos iniciais de estudos místicos…

_ Você se arriscou muito fazendo isso Serena! Disse uma monstruosidade de olhos esmeraldas e garras angulosas… _ E surpreendeu a todas nós! Não imaginamos que você seria capaz, mas aí está, bem vinda minha pequena bruxa-sereia!

Com um sorriso no canto da boca, a jovem era caçadora e feiticeira… iria instruir-se mais sobre como escolher os cogumelos corretos e misturar com o sangue daquele ser humano para compor seu primeiro encantamento…

Solta e Segue…

vai lá e escreve, levanta e dança…

ela está agitada, o corpo balança…

será que fiz a coisa certa…

a noite inteira e uma vida incerta…

se bem que se parar para pensar

o que é certo, certo será?

hoje a história conta muitas outras coisas

que se soubéssemos há tempos atrás

não sentiríamos essas coisas que já

era para não sentirmos mais…

ou seria fome? risadas profundas…

quem lê em ritmo de música…

mistura e remexe e sacode… 😉

Ode

Leia e Sinta

Tela de Touro

Signo de Touro

Conta uma história de aquarelas escorrendo por aí, formando planetas e estrelas, universos inteiros categorizando suas energias e criando seus seres…

em Produção…

Escrevendo com tintas! =D

Touro é meu signo, regido pelo Sol segundo a ciência astrológica… em algum momento Sagitário pode ser meu Ascendente, e creio muito por conta do meu amor pela estrada… Já o restante do mapa astral eu estou procurando saber, por isso a tela está…

%d blogueiros gostam disto: