“Na Intimidade”

foi um daqueles encontros que a vida fica sem explicação, e as duvidas bobas surgem à toa, afinal, seria necessário explicações para o amor?!… ela e ele estavam sentados em uma canga florida em frente ao mar… as cores azuis daquele mar eram surreais demais para existir e inspirava os papos daquele dia… já se conheciam há algum tempo, porém intimidade, essa vem com a convivência, e parece que dos dois lados a sinceridade era desprendida demais… e adoravam isso!

_ Como assim? ela perguntou para ele mexendo nos cabelos cacheados que formavam nuvens com o sopro forte dos ventos por ali… _ assim uai! ele respondeu… muitas risadas se seguiram… _somos seres peidantes! fazemos barulho que às vezes não controlamos e é igual para os fluidos e cheiros que nossos corpos transmitem… e se iremos ficar juntos, conviver por certo tempo, é bom que você saiba que eu faço muito… ele ficou pensando se falava tudo diretamente ou… _ barulho!”… ela caiu na risada, colocou a bunda de lado e soltou um belo peido!… _ somos! ela completou e os dois rindo muito naquele momento… pode parecer uma bobeira danada, mas não é… corpos que convivem, ou se acostumam e se entendem, ou a relação irá durar muito pouco para criar algum vínculo que pode se chamar de afetivo… e se for formal ainda, pior… ou você é ou você não é de verdade, e a formalidade poda a nossa personalidade real, é simples assim…

_ Não dá para ter nojo de porra, suor, lágrimas, esguichos, ou mesmo do sangue de quem você está trocando na vida, por que senão, não haverá sexo, não haverá jantares juntos ou cuidados por que cortei meu dedo com a faca fazendo a salada… ela dizia… _ os abraços em dias de calor, molhados de suor após a caminhada na praia, o cheiro forte do sexo com aquela pegada íntegra, os fluidos trocados por bocas, pau e buceta, mãos e pele… ele completou…

e os papos inteligentes e profundos, as vivências rasas e tontas, sem nenhum sentido que apenas fazer rir… as trocas misteriosas de interesses, saber do outro o que o outro faz, como gosta de comer seu ovo frito e se dorme de coberta cobrindo os pés ou se toma banho com água gelada… se seu trabalho é instigante e te interessa e daí se compartilha mais e mais, e quanto mais se troca, quanto mais rasos se tornam profundos, mais rasos irão surgir, mais assuntos são trazidos para a mesa de jogatinas à noite com vinho e queijos, e mais ao fundo irão seguir como mergulhadores intensos no oceano brilhante da vida… quanto mais se doam, quanto mais se dão, mais e mais…

Autor: pericles

Uma pessoa apaixonada por artes em todos seus âmbitos, um artista, um professor, um escritor entusiasta desenhando com letras! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: