“Disciplinando…”

então ele se encontrava com aquele redemoinho de sentimentos e sensações que ao longo dos anos teria aprendido a lidar com algumas delas, respeitá-las e se posicionar de forma onde não se afetaria ou à sua comunidade… era assim que a evolução estava lhe ensinando, e algo que ele adorava era praticar o que aprendia… a Disciplina apareceu para Sara, e ele visualizava tudo aquilo com bom gosto… sabia que sua criação permitia voar pelos caminhos mais diversos possíveis da imaginação, e até mesmo das loucuras, pois uma mente criativa não possui cercas, certo?! ele lembrou de dois professores, um que no dia da entrega do canudo disse que esperava mais dele, e ele com aquela sensação que isso vinha de todos os lados, da família, amigos, um que havia lhe falado “você como professor, não acreditei quando me contaram…” como se fosse algo tão anômalo assim, pois ele sempre foi um sujeito considerado “largado”, até por ele próprio… o outro professor já foi mais como uma competição, uma disputa “ou você me lambe (não literalmente), ou você não terá chances”… e ele não concordava com aquilo para nada… detestava gente puxa-sacos, gente que fica babando “sardinhas” para os outros para conseguir “subir” em suas vidas, carreiras ou as escolhas que sejam… para ele, era uma batalha, onde cada aprendizado levava ao próximo patamar, às vezes num salto grande que pulava várias casas no jogo da vida, às vezes mais lento, de um em um, e até mesmo, algumas outras vezes voltando para trás e se permitindo refazer ou reescolher

o parágrafo havia ficado maior do que ele pensava em fazer, no entanto a ideia estava ali, junto da Disciplina, e todas as vezes que a usou, foi bem, alcançou metas e conseguiu suas conquistas pessoais, por si, por acreditar em si, por fazer por si… e sabia que aquilo iria reverberar positivamente para os próximos e próximos… ele estava feliz com isso, apesar de ter deixado várias boas ideias de lado, de não ter feito aquele jogo que queria fazer para o TCC da faculdade de design por que seu orientador lhe disse que era muito difícil fazer tudo aquilo sozinho (podia ter permitido fazer a parte visual, que era de seu interesse né!), porém não queria achar culpado para suas falhas, se é que eram falhas… apenas colocou em prática aquilo que a vida vinha lhe ensinando… em momentos difíceis ou em tempos mais fáceis, senta e produza, ou faça em pé mesmo, não importa… deixou de lado aquela ideia de fazer uma lista para o que precisava fazer ou o que queria desenvolver… se vai fazer a lista, faça logo o que quer e fim de papo!… o importante é a Disciplina estar ali contigo, produzindo, colocando a mão na massa, criando tudo aquilo que quer criar, que seja em benefício próprio e para outras pessoas sempre… e sempre na positividade!

Autor: pericles

Uma pessoa apaixonada por artes em todos seus âmbitos, um artista, um professor, um escritor entusiasta desenhando com letras! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: