“Ser… Adulto!”

ahhh!!! é desses encontros lindos que a natureza nos propõe… ele estava dentro da água do mar, a maré baixa, conversando com o oceano inteiro através das energias deliciosas que aquelas ondas proporcionam… claro que é uma viagem da cabeça dele, imagina, o mar não tem boca para falar… tem?

entre risadas, bebericadas em cafés e tragadas em cigarros, ele e ela se encontraram para bater aquele papo gostoso cheio de ideias mirabolantes e duvidas sobre essas questões básicas da vida… questões que podem não ter a profundidade do saber do ser, de si e do universo, e que no entanto, mexem de qualquer forma com todas as vidas humanas que se relacionam entre si…

_ é engraçado… ele dizia… _ depois que ficamos adultos, essas regras sociais parecem piores, parecem que nos cercam mais… tipo, já ouvi e vi tantos absurdos…

_ essa ideia de que adultos bebem somente bebidas alcoólicas e fumam seus cigarros e caminham pelas areias da praia sem brincarem com o oceano, sem se lambuzarem com um sorvete… ela completava… _ e a ideia doida de que adultos não podem morar com os pais, mesmo tendo “independência financeira”… _ cara, e se eu quiser morar com eles para cuidar deles, continuar essa convivência, esse aprendizado, como isso me diz que não sou adulta?

essas duas pessoas soltaram fumaças e risadas e continuaram suas reflexões sobre esse mundo “adulto” e chato pra caralho!
_ imagina, tenho que pagar um monte de contas, tenho uma correria danada para chegar ao trabalho e fazer coisas que irão agradar pessoas que nem conheço, isso não faz o menor sentido e tem gente falando que isso é ser adulto… ela passou a mão nos cabelos ondulados…

entre risadas ele completou a fala dela… _ pior é me julgarem por gostar da “minha” jujuba… o exagero está em não cuidar da saúde, agora falar que temos alimentação infantil e que isso não é certo, gente… quem é que sabe o que é certo mesmo? adultos são obrigados a fazer terapia? faz parte do ser adulto fazer academia, batalhar por contas maiores para ter coisas que não usam, ou que no final da vida se entende que não trouxeram status nenhum…

ela estava dentro do mar, junto dele… era justamente o contrário, não era o fato de serem adultos pela idade, ou poderem trepar alucinadamente sem precisar dizer uma palavra sequer, ou ter que fazer poses e caras para parecerem diferentes com status de mais “isso ou aquilo”… mais risadas… e depois aquele beijo que demorou meses para acontecer desde que se encontraram pela primeira vez…

ela o havia inspirado por fazer… era mulher, surfista, desempregada, ex-esposa, amante de yoga e da natureza… e não parecia nem um pouco “adulta”… ele era artista, viajante, amante de natureza e tentava praticar o yoga, era maconheiro, se assumia uma “criançona” e há anos estava desempregado…

os dois eram adultos em seus mundos considerados infantis pelas pessoas de gravatas e saltos altos em grandes cidades, e que invejavam essas duas pessoas enquanto viam seus canais de streaming pensando… “poxa, como gostaríamos de fazer isso, mas somos adultos”………………. =D

Autor: pericles

Uma pessoa apaixonada por artes em todos seus âmbitos, um artista, um professor, um escritor entusiasta desenhando com letras! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: