“Outro Conto Que Era Para Ser Outro…”

e o mais louco de tudo é pensar que as pessoas nos enxergam pelos encontros que tivemos ao longo dos anos, e esquecem que se os anos se passaram, e as coisas evoluíram, mudaram… uma loja de roupas que não está mais no lugar em que estava, ou se tornou uma lanchonete… um objeto que já não existe mais, sumiu, foi trocado ou vendido, ou virou outra coisa, um enfeite, uma adaptação… imaginem então um ser humano, como não mudamos ao longo desses mesmos anos… ele não era mais aquela pessoa que havia tido encontros pontuais com ela como se fossem pílulas dentro de suas vidas, desde a primeira vez em que se viram, até aquele momento fatídico em que nunca mais iriam se encontrar, se falar, se sentir…

mesmo assim ele sentia aquele aperto no peito, uma saudade infinita que não sabia explicar, afinal quando estiveram juntos foi tão intenso (tanto para bom quanto para ruim, até ruir… até o fim)… e queria falar, saber, encontrar, rir juntos, conversar, ter de volta aquela amizade acalentadora com abraços apertados e carinhosos, com papos distintos e profundos, por momentos de quietude e mãos dadas… ele sabia que ela nunca quis ter algo “sério” consigo, e quando digo sério, é tipo esses relacionamentos monogâmicos que bem sabemos não funcionam muito bem, afinal, os seres humanos, por sua essência de exploração, por suas raízes inconstantes, são mesmo para o humilde conhecimento dele, seres poligâmicos, seres “multiamores“…

Autor: pericles

Uma pessoa apaixonada por artes em todos seus âmbitos, um artista, um professor, um escritor entusiasta desenhando com letras! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: