Sinceridade Latente!

era uma primeira vez na vida que podia sentir essa sensação real, quase tocável com as mãos, vivida pela pele… lembrem-se, o narrador é o personagem, e eu costumo contar a história desse nosso amigo viajante, tanto de estradas quanto de vida, tanto de aprendizado quanto em sua própria cabeça e percepções… ele estava sentado em uma mesa com tampo de ardósia o que fazia-o voltar à infância pelas memórias de seu antigo lar… na uma música, o que lhe importava a respeito do sentido da audição, eram os sons, os tons, os ritmos, não muito a letra, o que falava ou fazia, e sim como aquela palavra soava dançando em seus tímpanos e levando ele a viagens criativas… estava de volta, “demorei uma ‘fucking‘ semana…” ele pensou enquanto tragava aquele baseado matinal…

“quais são as verdades concretas que cada um de nós escolhemos seguir, pensando humildemente em caminhar em predileções que irão fazer o bem, para si, para sua comunidade… e pensar, também com consciência, no julgar, se é importante ou não, se vai acontecer, e como e quando irá… e na hora que isso cria vida, se torna fato e está diante de seus olhos…” ele olhava para a folha de papel em branco… “quanta coisa pode ser vivida, em um planeta tão grande que nossa impureza nos permite experienciar essa troca apenas como “consumidores” de tudo…” sentiu falta dessa conexão, consigo, com outros e com o todo, planetas e universos…

aqui iremos trazer a duvidazinha básica do dia… “estaria esse nosso querido amigo, vivendo tanto a sua verdade, tanto a sua conexão, que esse passear pelas calçadas discordantes de todas as vidas, todas as sensações, todas as escolhas e todas as emoções, mixadas em um liquidificador tão grande que ninguém consegue enxergar… a pergunta se perdeu, e como energia, aspas não serão fechadas… e ele pensou sobre empatia, e o fato das formigas terem uma perspectiva tão diferente no lance de viver uma vida, que elas às vezes não sabe o que somos, quem somos, o que estamos fazendo… “somos as montanhas em tempos diferentes, e poderíamos aprender muito com isso, com esse outro … tempo…”

Autor: pericles

Uma pessoa apaixonada por artes em todos seus âmbitos, um artista, um professor, um escritor entusiasta desenhando com letras! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: