Script…

ela estava sentada em cima de uma árvore beeem estranha… parecia comandar um exército de espectros, cabeças de caveiras encravadas no topo do tronco envelhecido, e ela fazendo gestos dançantes com o braço e os dedos e névoas de cores pálidas…

haviam alces ostentando dentes por dentro de sua carne, e carneiros gigantescos com faces de um lagarto bravo… veados galheiros sem o focinho mostrando duas grandes presas debaixo para cima em sua bizarríssima expressão… bom, eu to tentando é esclarecer que as coisas que estavam por ali naquele momento não eram lá muito normais, por mais anormais que as coisas nos pareçam hoje, pegaram a ideia?! risadas! e havia também um rinoceronte ou sei lá o que aquele ser parecia, com uma pomba amarela na cabeça batendo suas asas e bicando aquele enorme chifre liso e cor de rosa, logo abaixo seus olhos brilhantes e amarelos e saliências ossudas saindo de sua bocarra… descritivo, imaginem essa cena, completando com outras duas feras demoníacas em suas aparências, uma galinha desproporcional com sua arcada recheada de finos dentes como uma serrilha de engrenagem… e por último, sério minha gente, não sei nem o que é e muito menos como descrever tal criatura, porém sintam no estômago aquele arrepio incontrolável sabendo que você irá levar um puta susto e não adianta fugir, na real é paralisante… enfim…

seguimos com o jogo, cada movimento é extremo e importante… entender aqueles que escolhem “problemas”, ou ser uma pessoa mais leve; muitos falam que é tocar o foda-se, outros que é não se importar… para mim é mais sentar e assistir o mar agitar suas ondas e chegar até meus pés esfriando aquele leve ardor do sol…

era impressão, ou isso tudo acontecia dentro de uma concha… sim, uma daqueles que abrem a boca, com uma pérola brilhante e durona dentro… ilimitado…

e então ela chegou com uma serpente de tintas negras chuviscando por cima da pequena bruxinha… será que haveria alguma escapatória, governantes sujos continuavam no poder a mais de mil anos, e todos aplaudiam o rei, como se o que ele fizesse fosse algo realmente valioso para o feudo… pobres incautos… esta menina é a nossa cura

logo após as tormentas vem a calmaria… um mar sereno e liso, como uma piscina de águas com mil tons de índigos e viridantes… ela apareceu deslumbrante com uma grossa capa de veludo… parou diante da enorme fonte de energia e pousou delicadamente seus braços ao lado de seu corpo… sentiu a alegoria fantasmagórica chegando com sua imagem esbranquiçada, e voltou à 2013, ouvindo um som retubante dentro de sua cabeça… uivos de lobos… músicas e desenhos… pare com isso agora, vamos finalizar…

ninguém nunca saberá quem venceu a batalha, afinal, existem vencedores de uma guerra? eu acho que não… seguiu seu caminho até o mar, sentiu as ondas taparem sua bermuda e a deliciosa sensação gelada subindo o corpo preparando para um, dois, três mergulhos furando ondas e uma volta triunfante com pequenos pulinhos e batidas de cabelo para começar a se secar e fechar seus olhos e sentir o vermelho do astro do dia… coloquei a caneta no tinteiro e olhei para fora da janela… “ô saudade que balança meu bucho!”

Autor: pericles

Uma pessoa apaixonada por artes em todos seus âmbitos, um artista, um professor, um escritor entusiasta desenhando com letras! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s